João Nascimento - diretor geral e musical

Músico e pesquisador da cultura afro-brasileira, nasceu no Morro do Querosene em 1983. Graduado em Produção Musical pela Universidade Anhembi Morumbi. Presidente-fundador do Instituto Nação e coordenador do Ponto de Cultura Afrobase. Co-diretor da Cia Treme Terra ao lado do coreógrafo Firmino Pitanga - Em 2015 a Cia participa do Circuito SP Cultura e Virada Cultural da SMC de São Paulo; Contemplado no edital ProAC - Circulação de Espetáculos de Dança/2014, a Cia circula por diversos CEUS. Em 2013 realiza turnê pela Alemanha e Bulgária. Em 2015 João Nascimento integra a mesa de debate sobre Dança Contemporânea no SESC Santo Amaro ao lado de Valéria Cano e Mariana Monteiro.

 

Em 2014 foi vencedor do Prêmio Virada Sustentável. Produziu o disco Rapsicordélico de Gaspar Z’África Brasil com participações de Lirinha, Emicida, Zeca Baleiro, Dexter, Marce- lo Pretto, KL Jay e outros (Edital ProAc Hip-Hop/2012). Idealizador e curador do projeto Escola do Samba junto com etno-musicólogo Paulo Dias (Contemplado no edital VAI 2008; Edital ProAc - Festivais em 2009, 2010 e 2013). Em 2014 foi curador da Mostra de Arte Negra AGÔ. Em 2013 curador do festival Quebrada Cultural. Já atuou em turnê pela França, Noruega, Cuba, Alemanha, Estados Unidos, Londres e Suécia. Estudou percussão popular na Universidade Livre de Música com Ari Collares e Roberto Angerosa e percussão latina com o professor Juan Alberto em Santiago de Cuba. Integrante da Frente 3 de Fe- vereiro, em 2008 produziu a trilogia documentário/livro/disco “Zumbi Somos Nós”. Inte- grante do grupo Quinteto Abanã, em 2012 realizou turnê pela Suécia no Brasilian Winter Festival. Dirigiu ao lado de seu pai Dinho Nascimento o CD Sinfonia de Arames da Orques- tra de Berimbaus do Morro do Querosene.

Firmino Pitanga - diretor coreografico

Coreógrafo, Licenciado em Dança pela Escola de Dança da Universidade Federal da Bahia. Durante 20 anos realizou estudos sobre a dança negra na África e no Brasil, tornando-se precursor da dança negra contemporânea em São Paulo, dirigindo importantes companhias que circularam em festivais de dança pelo Brasil e exterior (Cabo Verde, África do Sul, Alemanha e Estados Unidos). Em 1977, representou o Brasil como o integrante do grupo da Universidade Federal da Bahia, sob direção de Clyde Morgan, no II FESTAC - Festival Mundial de Artes e Cultura Negro Africana, realizado em Lagos, Nigéria. Nesta mesma época realiza a direção do programa “Axé Se Liga Brasil” da TV Band.

Foi integrante do Teatro Castro Alves (Salvador - BA), sob direção de Antônio Carlos Cardoso até 1984 quando assume a direção e a coreografia do espetáculo “Lucas da Feira” do Grupo de Feira de Santana. Fundou o Grupo Bata-Kotô e a Companhia Balé de Arte Negra da Umes.

Estudou dança afro-americana com Artur Hall, etnomusicologia africana com Gerard Kubrick, jazz com Margarett Goines, Ballet clássico com Pamela Richardson, Ballet Clássico com Carlos Morais (escola russa), dança moderna com Carla Perlo, dança afro-americana, moderna e contemporânea com Clyde Morgan.

Em 2005 e 2006 tornou-se professor da UFBA - no Departamento de Técnicas Corporais atuando como docente no estudo do corpo com ênfase em cultura afro- brasileira. Atualmente é coreógrado da companhia Treme Terra em São Paulo, dirigindo o espetáculo Terreiro Urbano lançado no Auditório do MASP em abril de 2012. Também coreógrado da companhia Kina Mutembua no Rio de Janeiro, dirigindo o espetáculo de dança denominado Berimbaus, realizando apresentações pelo Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador.

  • w-facebook
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco